Câmara de Osasco aprova Moção de Apoio ao Outubro Rosa

Os vereadores de Osasco aprovaram por unanimidade na câmara de Osasco, a moção de apoio ao movimento Outubro Rosa. A propositura de autoria do vereador Ricardo Silva (PRB), ressalta a relevância da campanha de prevenção ao câncer de mama.

Vereador de Osasco Ricardo Silva

Para lembrar a importância do movimento, o vereador usou um laço cor-de-rosa preso à roupa. A campanha objetiva conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce e da prevenção ao câncer de mama. O parlamentar destacou que dados do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), “revelam que o câncer de mama é o mais incidente em mulheres, excetuando-se os casos de pele não melanoma, representando 25% do total de casos de câncer femininos no mundo em 2012, com aproximadamente 1,7 milhão de casos novos naquele ano. É a quinta causa de morte por câncer em geral (522.000 óbitos) e a causa mais frequente de morte por câncer em mulheres”, disse.

Ainda segundo informações, no Brasil, excluídos os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama também é o mais incidente em mulheres de todas as regiões, exceto na região Norte, onde o câncer do colo do útero ocupa a primeira posição. Para o ano de 2018 foram estimados 59.700 casos novos, que representam uma taxa de incidência de 51,29 casos por 100.000 mulheres.

A taxa de mortalidade por câncer de mama ajustada pela população mundial apresenta uma curva ascendente e representa a primeira causa de morte por câncer na população feminina brasileira, com 13,68 óbitos/100.000 mulheres em 2015. As regiões Sul e Sudeste são as que apresentam as maiores taxas, com 15,26 e 14,56 óbitos/100.000 mulheres em 2015, respectivamente.

Na mortalidade proporcional por câncer em mulheres, no período 2011-2015, os óbitos por câncer de mama ocupam o primeiro lugar no país, representando 15,7% do total de óbitos. Esse padrão é semelhante para as regiões brasileiras, com exceção da região Norte, onde os óbitos por câncer de mama ocupam o segundo lugar, com 12,5%. Os maiores percentuais na mortalidade proporcional por câncer de mama foram os do Sudeste (16,5%) e Centro-Oeste (16,1%), seguidos pelos Sul (15,2%) e Nordeste (14,8%).

A incidência do câncer de mama tende a crescer progressivamente a partir dos 40 anos, assim como a mortalidade por essa neoplasia. Na população feminina abaixo de 40 anos, ocorrem menos de 10 óbitos a cada 100 mil mulheres, enquanto na faixa etária a partir de 60 anos o risco é 10 vezes maior. “É importante destacar o tema para conscientizar sobre a prevenção e do diagnóstico precoce do câncer”, conclui.

Ascom – Vereador Ricardo Silva

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *